quinta-feira, 27 de novembro de 2014

No Fundo do Poço – Por Paulo Junior

No Fundo do Poço

Deus meu em quem confio, os cordéis da morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim… Encontrei aperto e tristeza! Tenho, agora, a minha morada nos sepulcros. Ando de dia e de noite clamando pelos montes e em meio aos sepulcros – ferindo a mim mesmo com pedras – e ninguém pode me amansar.
Não há coisa alguma boa na minha carne, nem há paz em meus ossos, por causa do meu pecado. Pois já as minhas iniquidades ultrapassam a minha cabeça. Elas são pesadas demais para eu suportar. Já cheira mal o meu estado Jesus!
Estou encurvado e muito abatido, estou prestes a coxear; de maneira alguma posso me endireitar; não passo de um cão morto! Atolei-me em profundo lamaçal, onde se não pode estar em pé. Estou cansado de clamar, a minha garganta se secou. Os meus olhos desfalecem esperando o meu Deus.
Eu entristeci o Seu Espirito ao ponto de extingui-lo e, sem que eu soubesse, Ele se ausentou de mim. Porque daquilo que eu fui vencido (o pecado) do tal me tornei escravo! O bem que eu quero fazer, não consigo e, o mal que odeio fazer, estou sempre fazendo… Miserável homem que sou!
Percebi em mim um coração mau e infiel que se apartou do Deus vivo. Porque me havendo fortificado, exaltou o meu coração até me corromper e transgredi contra o Senhor meu Deus. Por isso, digno de morte é tal homem. Ó Senhor! Eu sou esse homem! Pois procedi mui loucamente. Passou a sega, findou o verão, e eu ainda não estou salvo. 
Me perguntaram acerca de Ti e, por três vezes, eu disse: “Não conheço esse homem”, então passei a seguir-te de longe! Sinto-me preso com ganchos e amarrado com correntes, abandonado em uma masmorra. Ó maldito o dia que eu nasci, e aquele que deu as novas ao meu pai. Por que o Senhor não me matou na madre de minha mãe? Pereça o dia em que nasci, e a noite em que se disse: Foi concebido um homem! É tamanho o meu castigo que já não posso suportá-lo.
Mesmo tendo eu sido muitas vezes repreendido, endureci a minha cerviz, por isso temo de repente ser destruído sem que haja cura. Tudo isso porque eu fiz duas maldades: a Ti te deixei, o manancial de águas vivas, e cavei cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas. 
Meu Deus, que a minha justiça exceda a dos escribas e fariseus, pois sou eu que justifico a mim mesmo… Quanto tempo te honrei com os lábios, mas o meu coração estava longe de Ti? Sou a canção dos beberrões nas portas dos bares… Por isso, não sejam por minha causa envergonhados aqueles que em Ti esperam, nem deixe que por minha causa o Seu Nome seja blasfemado entre os gentios!  Ah! Santo Deus: estou com nome de quem vive, mas estou morto, por isso pedi em meu ânimo a morte, dizendo: já basta, ó Senhor. Toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais!
No entanto, vendo eu que estava comendo bolotas com os porcos, caindo em mim disse: quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, eu pequei. Eu pequei, eu pequei! Já não sou digno de ser chamado teu filho, faze-me ao menos como um dos teus empregados! Agora clamo eu: Filho de Davi tem compaixão de mim, Filho de Davi tem misericórdia de mim! 
Até os cães comem das migalhas que caem da mesa dos filhos. Deixe-me apanhar ao menos as espigas que caírem no caminho, pois a minha alma está faminta! Ah, se eu pudesse tocar ao menos na orla das Suas vestes ficaria curado do meu mal, seria perdoado da minha iniquidade, pois para Ti qual é mais fácil dizer: levanta e anda, ou perdoados estão os seus pecados? Entretanto, sempre que eu vou, passa outro na minha frente. 
Apressa-te, ó Deus, em me livrar. SENHOR apressa-te em ajudar-me, pois tenho esperado com paciência no Senhor. Se quiseres, podes me limpar! Porém não sou digno de que entres em minha casa, mas dize apenas uma palavra – somente uma palavra – e eu serei livre do meu mau!
Apesar de ser eu pobre e necessitado, cuide de mim ó Senhor! Seja o meu quinhão na terra dos viventes, pois tu és Pai de órfãos e Juiz de viúvas, no Seu lugar santo. Por favor, ordene que seus corvos me alimentem e, na minha sequidão, seja o ribeiro que dê ao menos nos meus tornozelos e, assim, mate a minha sede!
Peço-te Senhor que unjas os meus olhos com o Seu colírio para que eu veja novamente e cubra com vestes brancas a vergonha da minha nudez. Ajuda-me a levantar, pois me lembrei de onde caí. Ajude-me a voltar ao meu primeiro amor e à prática das primeiras obras, antes que o meu castiçal seja removido!
Subirei eu contra os meus inimigos? Alcançá-los-ei? Entregá-los-á em minhas mãos, Jeová, fortaleza minha?
Se tu, Senhor, observares as minhas iniquidades, como subsistirei? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido. Sendo assim, concede a essa figueira estéril que lhe dê ao menos um frutozinho digno de arrependimento, pois suas misericórdias Senhor, são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim, novas são cada manhã, grande é a tua fidelidade!
Tu, tu mesmo, bondoso Jesus, é o que apaga as minhas transgressões por amor de Ti, e dos meus pecados não te lembras mais… Portanto esperarei no Senhor, porque no Senhor há misericórdia e, Nele, há abundante redenção!
No amor de Cristo,
Paulo Junior
Fonte: Defesa do Evangelho

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Terremoto atinge o Amazonas

Tremor de 4,6 graus de magnitude teve epicentro em Eurinepé.
Ainda não há informações sobre vítimas ou danos materiais.


Um terremoto de magnitude 4,6 atingiu o Estado do Amazonas na noite desta terça-feira (25). De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês), o tremor foi registrado na divisa com o Acre e na fronteira com o Peru. Não há informações sobre vítimas ou danos materias.

O tremor ocorreu às 21h26, no horário local (23h26 de Brasília), com 562 km de profundidade e epicentro a 222 km da cidade de Eirunepé, localizada a 1.159 km da capital, Manaus.O município fica próximo também das cidades de Cruzeiro Do Sul, Tarauacá e Feijó, todas no Acre.
O Comando de Policiamento do Interior do Amazonas (CPI) e a delegacia de Eirunepé, informaram que, até 23h50 (horário local), não tinham informações sobre o sismo.
Fonte: G1

sábado, 8 de novembro de 2014

Vírus chikungunya, um risco maior que o ebola




 
>> Trecho da reportagem de capa de ÉPOCA desta semana:


No domingo, a família se diverte reunida. Na segunda-feira e nos dias seguintes, o ânimo desaparece pouco a pouco. A casa toda adoece. Crianças, jovens, adultos, idosos – um após o outro. Alguns se queixam de febre acima de 39 graus, outros de dores de cabeça e manchas vermelhas na pele. Todos padecem de terríveis dores nas articulações dos dedos, tornozelos e pulsos. Elas inflamam e incham. Abrir as mãos para alcançar um copo ou vestir a roupa se torna tão difícil e dolorido quanto vencer uma corrida de longa distância. Os que conseguem dar alguns passos, curtos e lentos, se apoiam em cadeiras, cabos de vassoura, muletas emprestadas pelos vizinhos. Tentam buscar socorro para arrastar até o hospital aqueles que mal conseguem se levantar. Ao chegar lá, descobrem que não são os únicos afetados pelos estranhos sintomas. Centenas de pessoas caíram de cama e disputam os mesmos cuidados.
Essa é a experiência compartilhada nas últimas semanas pelos moradores de Feira de Santana, na Bahia, a cerca de 100 quilômetros de Salvador. Mais de 400 pessoas (409, segundo o último boletim oficial) foram diagnosticadas com uma doença nova no Brasil – a febre chikungunya, causada pelo vírus de mesmo nome. Outros 689 casos suspeitos estão em investigação por lá. A origem da palavra é africana. Na língua maconde, da Tanzânia, onde o vírus foi identificado pela primeira vez, nos anos 1950, chikungunya significa “aqueles que se dobram”. É uma referência à postura curvada dos doentes. De uma hora para outra, até os rapazes mais atléticos podem sentir na pele o que é ter 80 anos e sofrer de artrite crônica. Dói bem mais que dengue durante vários dias ou semanas. Em alguns casos, meses.
>> Cristiane Segatto: O chikungunya, primo da dengue, deveria assustar mais que o ebola
>> Cristiane Segatto: O charme dos vírus

O vírus consegue infectar muita gente em pouco tempo porque é transmitido por um mosquito bem conhecido dos brasileiros: o Aedes aegypti, o mesmo da dengue. Ao prever um verão com epidemias simultâneas de dengue e de febre chikungunya, o Ministério da Saúde lançou na semana passada mais uma campanha de combate aos focos do mosquito. Desta vez, com um claro alerta: “O perigo aumentou. E a responsabilidade de todos também”.
>> O Brasil está preparado para o ebola?

O vírus avança rapidamente pelo Brasil – e pode chegar a todas as regiões nos próximos meses. Em junho, cinco militares que retornaram de uma missão no Haiti receberam o diagnóstico da doença em São Paulo. No bimestre seguinte, surgiram no Brasil 37 notificações de infecção importada. Na maioria dos casos, a doença foi contraída no Caribe. Com a circulação desses viajantes, não demorou muito para que o vírus fosse introduzido definitivamente por aqui. Em setembro, surgiram no município de Oiapoque, no Amapá, as duas primeiras notificações de transmissão em território brasileiro.


Fonte: ÉPOCA

Astrônomos descobrem asteroide que pode colidir com a Terra





São Paulo - Por meio de imagens do espaço feitas pela rede de telescópios robóticos Máster, astrônomos russos identificaram um asteroide que pode colidir com a Terra no futuro. O astro foi nomeado 2014 UR116.
Os pesquisadores não souberam dizer quando o asteroide vai passar perto da Terra. Entretanto, eles garantiram que isso não acontecerá nos próximos dois anos. Além disso, mudanças de rota podem fazer com que o astro não se choque contra o nosso planeta.
De acordo com os especialistas, o asteroide tem 370 metros de diâmetro. Ele é 20 vezes maior que o Chelyabinsk, meteorito que atingiu a Sibéria em fevereiro de 2013. A NASA classificou o 2014 UR116 como asteroide potencialmente perigoso.
Nessa categoria, a agência espacial americana enquadra todos os asteroides com mais de 150 metros de diâmetro que possam passar a menos de 20 mil quilômetros da Terra. Segundo a NASA, esses asteroides poderiam causar devastação regional sem precedentes ou grandes tsunamis caso colidissem com o planeta.
No começo de 2013, cerca de 1.400 asteroides estavam classsificados pela NASA como PHA. Entretanto, para a agência espacial americana, nenhum deles representava uma ameaça preocupante para a Terra nos próximos 100 anos.

Fonte: MSN.COM