terça-feira, 27 de março de 2012

A parábola da candeia

 Ninguém, depois de acender uma candeia, a põe em lugar escondido, nem debaixo do alqueire, mas no velador a fim de que os que entram vejam a luz.

 São os teus olhos a lâmpada do teu corpo; se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas se forem maus, o teu corpo ficará em trevas.
 Repara, pois, que a luz que há em ti não sejam trevas.
 Se, portanto, todo o teu corpo for luminoso, sem ter qualquer parte em trevas, será todo resplandecente como a candeia quando te ilumina em plena luz.
       Lucas 11. 33 36

Nenhum comentário:

Postar um comentário